Chef mistura Brasil e Espanha em paella de moqueca; faça em casa

0

À frente do renomado restaurante paulistano Petí e com apenas 30 anos, Victor Dimitrow já carrega prêmios em sua carreira, como chef revelação pela Veja São Paulo e Restaurante do ano pela Folha de São Paulo, entre outros.

A paella de moqueca com frutos do mar, picles maxixe, pimenta de cheiro e broto de coentro, receita cedida ao Nossa Cozinha, é um das miscelâneas de delícias de Victor, que diz enfatizar a “gastronomia brasileira com combinação de técnicas do mundo” como as cozinhas molecular, espanhola e francesa.

“Tudo é inspiração”

A horta orgânica que temos aqui me inspira, por exemplo, porque vejo o que está crescendo, o que podemos usar e o que podemos esperar para usar nas receitas”.

Até a arte motiva as criações culinárias do chef. Uma das unidades do Petí está localizada dentro de uma loja de artes no bairro da Pompeia. “As artes também acabam sendo uma inspiração porque a gente vê muitos desenhos, muitas cores, muitas texturas e isso a gente acaba levando também para o restaurante”.

Pratos do chef Victor Dimitrow, do restaurante paulistano Petí - Reprodução/@victordimitrow
Pratos do chef Victor Dimitrow, do restaurante paulistano PetíImagem: Reprodução/@victordimitrow

O menino dos livros, o chef do restaurante

A gastronomia saltou aos olhos de Victor Dimitrow inspirado por chefs e escolas famosas ainda garoto. “O primeiro livro que eu comprei foi da Roberta Sudbrack, aos 11 anos. Também tive o de técnicas da Le Cordon Bleu, assistia os programas do Olivier”, relembra.

Acho que mais importante que a formação, é o estudo e o interesse dos envolvidos com a gastronomia”

Victor Dimitrow na cozinha do restaurante Petí - Reprodução/@victordimitrow
Victor Dimitrow na cozinha do restaurante PetíImagem: Reprodução/@victordimitrow

Em 2010, deu o primeiro passo na formação ao entrar para o curso de Gastronomia na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo. Desistiu da universidade no Brasil e se formou em um curso de curta duração no Instituto Paul Bocuse, em Lyon, na França. A carreira de Victor passou a guinar depois dos estágios que fez em Paris e em Dublin. De volta ao Brasil, trouxe experiência e inspirações para montar o restaurante Petí.

Reconhecimento além dos prêmios

O reconhecimento da crítica gastronômica é essencial para os chef, mas Victor Dimitrow ressalta que tocar a vida uma pessoa é inesquecível.

“Teve uma vez que uma mulher grávida foi ao Petí e chorou ao provar um dos prato; ela disse que a comida estava incrível e lembrava a receita da tia dela. Foi um elogio quase silencioso que traduziu um elogio grandioso e foi muito marcante para mim”.

“A gente trabalha muitas horas, fazendo as coisas muito minuciosas, esperando algo assim: mexer um pouco com as pessoas”, explica o chef.

Leave A Reply

Your email address will not be published.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More